Ir para o conteúdo

Colaborando com testes na BD+

Para manter a qualidade dos bases de dados presentes na BD+, nós contamos com um conjunto de checagens automáticas que são realizadas durante a inserção e atualização de cada base. Essas checagens são necessárias, mas não suficientes para garantir a qualidade dos dados. Elas realizam consultas basicas, como se a tabela existe ou se tem colunas totalmente nulas.

Você pode colaborar com a BD aumentando a cobertura dos testes, diminuindo assim o trabalho de revisão dos dados. Para isso basta criar consultas que testem a qualidade dos dados em SQL, como as seguintes:

  • Verificar se colunas com proporção possuem valores entre 0 e 100
  • Verificar se colunas com datas seguem o padrão YYYY-MM-DD HH:MM:SS

Qual o procedimento?

Incluir testes de dados deve seguir o fluxo de trabalho:

Sugerimos que entre em nosso canal no Discord para tirar dúvidas e interagir com outros(as) colaboradores(as)! :)

1. Informe seu interesse

Converse conosco no bate-papo da infra ou reuniões às 19h da segunda-feira, ambos no Discord. Caso não tenha uma sugestão de melhoria podemos procurar alguma consulta que ainda não foi escrita.

2. Escreva sua consulta

Faça um fork do repositório da Base dos Dados+. Em seguida adicione novas consultas e suas respectivas funções de execução nos arquivos checks.yaml e test_data.py.

As consultas são escritas em um arquivo YAML com Jinja e SQL, da forma:

test_select_all_works:
  name: Check if select query in {{ table_id }} works
  query: |
    SELECT NOT EXISTS (
            SELECT * 
        FROM `{{ project_id_staging }}.{{ dataset_id }}.{{ table_id }}`
    ) AS failure

E executadas como testes do pacote pytest:

def test_select_all_works(configs):
    result = fetch_data("test_select_all_works", configs)
    assert result.failure.values == False

Não se assuste caso não conheça algo da sintaxe acima, podemos lhe ajudar durante o processo. Note que os valores entre chaves são variáveis contidas em arquivos table_config.yaml, que contém metadados das tabelas. Logo a escrita de consulta é limitada pelos metadados existentes. Recomendamos consultar estes arquivos no diretório das bases.

3. Submeta sua consulta

Por fim realize um pull request para o repositório principal para que seja realizada uma revisão da consulta.

Voltar ao topo